top of page
  • Por Redação

Estudo aponta riscos do marketing infantil nas redes e pede regulamentação

Muitos pais compartilham fotos e vídeos dos seus filhos nas redes sociais por diversas razões, seja para se conectar com amigos e/ou familiares e buscar validação ou apoio. E muitos deles também fazem isso para obter ganhos comerciais. Os pais gerenciam os filhos como se fossem “influenciadores” de mídia social, permitindo que trabalhem com marcas para comercializar produtos destinados a outras crianças e também a adultos.


Relatório provisório da Comissão Australiana de Concorrência e Consumidores identificou as principais questões relevantes para os influenciadores infantis, incluindo problemas como privacidade e possível exploração do trabalho infantil. Existe uma clara necessidade de regulamentação e exigirá um esforço coletivo.


Saiba mais sobre a babá mais popular do mundo, instakids em alta nas redes sociais, os kidinfluencers, e a regulamentação das crianças pelo mundo: https://abre.ai/gbn3.








6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page